Atleta Foco: Campeã do Pan 2021, Grumpy Girl Maria Malyjasiak

Você pode conhecê-la como Grumpy BJJ Girl (seu nome no IG), ou por suas frequentes aparições no pódio nos maiores eventos de jiu-jitsu... mas o nome dela é Maria Malyjasiak e ela é a força polonesa que vem destruindo o ranking feminino divisão faixa-preta.

Nascida e criada na Polônia, Maria começou sua jornada nas artes marciais no Judô, tornando-se 2x Campeã Nacional da Polônia antes de se dedicar ao Jiu-Jitsu. Desde então, ela competiu e ganhou medalhas em alguns dos eventos de grappling mais prestigiados do mundo, incluindo uma medalha de prata no aclamado Campeonato ADCC.

Agora em seu quarto ano como faixa-preta, Maria parece ter acertado o passo e está no topo da categoria em quase todas as provas que participa. Recentemente ela venceu o Pan de kimono e sem kimono da IBJJF 2021 e ficou em segundo lugar no Mundial Sem Kimono. Ela também tem alguns ouros e pratas no absoluto.

Para dizer o mínimo, Maria é uma estrela trabalhadora do Jiu-Jitsu no auge de sua carreira. Conversamos com ela para saber mais sobre sua ascensão ao sucesso no jiu-jitsu.

Você começou sua jornada nas artes marciais no Judô. O que fez você mudar para o Jiu-Jitsu?

Viagem grátis para Abu Dhabi! Haha sério! Em 2010, ouvi falar do Abu Dhabi World Pro Trials sendo realizado no meu país e que eu poderia ganhar uma viagem para Abu Dhabi.

Pensei comigo mesmo, só ganhei medalhas e diplomas no Judô, por que não tentar a sorte no Jiu-Jitsu? Já conheço algumas pessoas que praticaram Jiu-Jitsu, porque foram meus companheiros na Seleção Nacional de Grappling, então não foi algo totalmente novo para mim.

Resolvi competir neste evento, então encontrei uma academia de Jiu-Jitsu dois meses antes para aprender algumas regras (o que provavelmente só aconteceu na faixa-roxa), ganhei minha passagem para Abu Dhabi e só treinei Jiu-Jitsu desde então. (risos)

Como sua passagem pelo Judô o ajudou a alcançar o sucesso que você tem até hoje?

Com certeza foi essencial no início da minha jornada. Consegui derrubar meus adversários e trabalhar na passagem de guarda, que foi meu principal jogo até a faixa-marrom.

O fato de ter começado na adolescência me ajudou a aprender a ser disciplinado e confiante. Por mais constrangedor que seja, eu usava faixa marrom de judô nas aulas de Jiu-Jitsu até aquela primeira competição. Eu estava muito confiante e acreditei muito em mim mesmo.

Você tem se saído muito bem ultimamente, com vários pódios nos maiores eventos. A que você credita seu sucesso recente?

Trabalho duro, dentro e fora dos tatames, o melhor treinador e equipe, disciplina e acreditar que posso.

Vimos você recentemente levar para casa o ouro no Pan Sem Kimono e o segundo lugar no Mundial Sem Kimono. A medalha de ouro do ADCC está na sua mira?

Definitivamente, pretendo competir nas seletivas europeias do ADCC no ano que vem. Gostaria de ter a chance de adicionar mais uma medalha do ADCC à minha coleção.

Qual tem sido seu produto HYPERFLY favorito ultimamente?

Meu produto favorito ultimamente tem sido o rashguard supremo, tenho cinco deles! Meu produto favorito de todos os tempos é o Pro Comp Gi! É minha armadura de competição. Mal posso esperar pela próxima edição!

Que conselho você daria a uma competidora que deseja ter sucesso em sua carreira competitiva?

  1. ACREDITE QUE VOCÊ PODE.
  2. Coloque-se em primeiro lugar.
  3. Certifique-se de ter um cronograma e de segui-lo. Essa é a única maneira de ter sucesso.

Se você tem dificuldade em acreditar, escreva seu objetivo no presente no espelho, por exemplo “Campeão Mundial de 2021”. Você continuará lendo e isso acontecerá.

Não deixe de seguir Maria no Instagram aqui!

Veja 10 dos nossos projetos especiais favoritos dos 10 anos de Hyperfly aqui.